sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Parabéns a Dita Von Teese!





Hoje, a pin-up linda e elegante Dita Von Teese está soprando as velinhas.


Ela nasceu Heather Renée Sweet em 28 de setembro de 1972 e é uma das instigadoras do neo-burlesco, sendo considerada um fator essencial para trazê-lo ao mainstream.


Fetichista assumida, Dita Von Teese é responsável pela reinvenção da estética pin-up dos anos 40 e 50 associado à arte ancestral do strip-tease, protagonista de espectáculos que incluem banho num copo de Martini gigante.


Recentemente Dita lançou seu livro Burlesque and the Art of Teese/Fetish and the Art of Teese que é o testemunho ilustrado de uma sex symbol de luxo.


Muitos anos de vida a nossa queridíssima pin-up.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Para assistir "Bonequinha de Luxo"










Título Original: Breakfast at Tiffany´s
Gênero: Comédia Romântica
Origem/Ano: EUA/1961
Duração: 114 min
Direção: Blake Edwards
Elenco:
Audrey Hepburn, George Peppard, Patricia Neal, Buddy Ebsen, Martin Balsam, José L.de Villalonga, John McGiver, Alan Reed, Dorothy Whitney, Beverly Powers, Stanley Adams, Claude Stroud, Elvia Allman e Mickey Rooney
Sinopse:

Audrey Hepburn e George Peppard desenvolvem um romance envolvente neste best-seller de Truman Capote adaptado para a tela, embalado pela trilha sonora de Henry Mancini e pela canção "Moon River", também de Mancini e de Johnny Mercer, ambas premiadas com o Oscar. Holly Colighly (interpretada por Audrey Hepburn) é uma garota de programa nova-iorquina que está decidida a casar-se com um milionário brasileiro. Ela conhece seu grande amor Paul Varjak (George Peppard), um escritor, quando este se muda para seu prédio, em Greenwish Village, em Manhattan. Na cena de abertura desta comédia super romântica, Holly "namora" as vitrines da luxuosa loja Tiffany às 6h da manhã, depois de ter passado a noite inteira em claro.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Moda pin-up

Fã das Bettys Page e Grable, além das eternas divas de Hollywood Ava Gardner e Rita Hayworth, a publicitária carioca Ana Bandarra, 27, criou a marca de roupas femininas Voodoo Doll. Com peças para o dia e para a noite, Bandarra desenha saias, vestidos, biquínis e corpetes que, como ela mesma conta, são mais do que peças inspiradas no vestuário pin-up: "É uma reprodução, de fato. A pin-up é sexy sem ser vulgar, não tem a neurose da estética da magreza e não precisa mostrar tudo para mexer com a imaginação dos homens. Tenho a impressão de que essas mulheres se divertiam muito mais".
As clientes da Voodoo Doll são mulheres jovens, de 20 a 30 anos, que buscam personificar as clássicas pin-ups. Fãs de rock dos anos 50, consomem produtos retrô - filmes, discos, móveis -, e não saem de casa sem deixar a sobrancelha bastante arqueada, as unhas com esmalte bem vermelho e a franja curta e estranhamente cortada. "Elas se identificam mais com a Bettie Page do que com a Kate Moss, então querem vivenciar um pouco daquele estilo de vida", resume Bandarra. Pelo visto, em tempos de silicone, botox, lipoaspiração e Photoshop, encarnar a "rainha das curvas" é mesmo uma boa idéia de diversão.

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Últimas de Dita

Frederick’s of Hollywood resgata em sua coleção 2007-08 a era vintage das deusas do glamour e Dita Von Teese será a modelo de sua campanha.

A foto, abaixo, foi tirada por Marilyn Manson ex-marido de Dita Von Teese. Dita gostou tanto da foto que a publicou em seu site http://www.dita.net/ .

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Para assistir

Gilda

Título Original: Gilda
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 110 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1946
Direção: Charles Vidor
Roteiro: Jo Eisinger e Marion Parsonnet , baseado em história de E.A. Ellington
Produção: Virginia Van Upp
Fotografia: Rudolph Maté
Figurino: Jean Louis

Johnny Farrell (Glenn Ford) é promovido a gerente de um famoso clube noturno em Buenos Aires, de propriedade de um amigo seu. Quando Gilda (Rita Hayworth), a mulher de seu amigo, é apresentada a Johnny ele a reconhece, pois tiveram um caso no passado. É quando o antigo amor existente entre os dois é reacendido.
Pelo seu clima sugestivo e roteiro repleto de frases dúbias, Gilda é considerado um dos filmes mais eróticos já feitos por Hollywood e bastante ousado para a censura dos anos 40.

A personagem Gilda foi criada especialmente para Rita Hayworth. Ainda assim a atriz inicialmente não queria interpretar a personagem, apenas aceitando-a após o roteiro ser alterado de forma a valorizar sua presença.

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Sobre o Vaudeville

Vaudeville foi um gênero de entretenimento de variedades predominante nos Estados Unidos e Canadá do início dos anos 1880 ao início dos anos 1930. Desenvolvendo-se a partir de muitas fontes, incluindo salas de concerto, apresentações de cantores populares, "circos de horror", museus baratos e literatura burlesca, o vaudeville tornou-se um dos mais populares tipos de empreendimento dos Estados Unidos. A cada anoitecer, uma série de números eram levados ao palco, sem nenhum relacionamento direto entre eles. Entre outros, músicos (tanto clássicos quanto populares), dançarina(o)s, comediantes, animais treinados, mágicos, imitadores de ambos os sexos, acrobatas, peças em um único ato ou cenas de peças, atletas, palestras dadas por celebridades, cantores de rua e filmetes.
Fonte:Wikipedia

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Burla

A programação do Theatro Circo de Braga tem como destaque principal, em Setembro e Outubro, o Burla, um festival do burlesco com espetáculos em que predominam a sensualidade e o humor, melodias que nascem dos mais inesperados objetos a par da magia e do misticismo. O responsável pela programação do Theatro Circo, Paulo Brandão, anunciou que o Burla traz a Braga talentos que se multiplicam entre as artes circenses e o mundo dos cabarets.

Space Vixens

School Girls

O festival, que apresenta, entre outros, The Glam-O-Rama Girly Show, Tomás Kubínek, Vermillion Lies e Lucent Dossier Vaudeville Cirque, começa no dia 15 de Setembro. No primeiro dia, o espectáculo The Glam-O-Rama Girly Show desvenda o mundo das pin-ups. Com percursos a solo no cenário burlesco internacional, Bettina May, Tana, The Tattooed Lady e Vienna Le Rouge juntam-se ao comediante Vincent Drambuie em alguns dos números que lhes deram o reconhecimento no cenário burlesco e cabarético internacional, destaca o responsável. Segundo Paulo Brandão, os Glam-O-Rama encarnam o estilo das modelos que marcaram presença nos armários e no imaginário masculino da primeira metade do século XX, para interpretar os números Space Vixens, School Girls, Stewardess ou Luck be a Lady. No dia anterior, Bettina May, Tana The Tattoed Girl e Viena Le Rouge propõem ao público feminino uma sessão de transformação em modelos pin-up, em estrelas dos míticos anos 40 e 50. Empenhadas em partilhar o glamour e magia que exibem em palco, as Glam-O-Rama, mentoras da Pin-Up School, proporcionam às entusiastas da moda e cultura desta época a oportunidade de aprenderem a maquiar-se, pentear-se, vestir-se e posar como autênticas pin-ups. A iniciativa culmina numa sessão fotográfica, e na entrega às participantes de um livro com os conteúdos abordados e com o registo digital, das fotos da caracterização.
Passando para a comédia de excelência, conjugada com momentos de magia e acrobacia, o Theatro Circo recebe em 20 de Setembro, Tomás Kubínek com um espectáculo que lotou salas como o Royal Albert Hall, em Londres, a Broadway’s New Victory Theatre, em Nova Iorque, e a Brooklyn Academy of Music. Algures entre a comédia, a mímica, a magia, a acrobacia, a música, o vaudeville e o clowning, as performances de Tomás Kubínek cativam públicos de todas as idades. 6 de Outubro, o palco do Theatro acolhe as irmãs Kim e Zoe Boekbinder, mais conhecidas por Vermillion Lies, representantes do género twisted folk, que apresentam Separated by Birth, álbum de estreia. As suas músicas - sublinha a fonte do Theatro Circo - criam melodias a partir de objetos como pianos, máquinas de escrever, grelhadores, latas ou vassouras. Infelizmente não existe previsão deste espetáculo ser apresentado no Brasil.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Sucide Girls, pin-ups modernas?


Garotas normais, elas assumem o próprio corpo e mostram-se sensuais sem apelar para conceitos pré-estabelecidos de beleza - não à toa, algumas exibem tatuagens pelo corpo, piercings, maquiagem bem carregada e, por que não?, uns quilinhos a mais. É o que a americana Missy (ela não revela a real identidade), 28, chama de garotas suicidas .

No ar desde 2001, o SuicideGirls.Com tornou-se referência mundial na divulgação dessas mulheres. Com milhares de visitantes por mês, reúne mais de mil garotas, cujas fichas trazem perfil pessoal, vídeos e ensaios fotográficos (por vezes produzidos pelos próprios membros). É uma espécie de Orkut das "pin-ups modernas".

A fundadora do site Suicide Girls, Missy, adianta que as "novas pin-ups" não são nada mórbidas. O termo, na verdade, foi tirado do livro Sobrevivente , do escritor Chuck Palahniuk, e adaptado por ela para denominar as garotas que exibem suas fotos no portal. Missy explica: Ser uma garota suicida é uma questão de atitude! Temos muitas garotas no site que não têm o cabelo pintado ou modificações no corpo, como tatuagens e piercings. A beleza vem de dentro e ter confiança definitivamente ajuda muito. Eu diria que as garotas suicidas são as mais arrasa-quarterões e as mais descoladas do planeta. Elas sabem quem são e como são, e não têm medo de serem elas mesmas .
Bom, eu ainda prefiro as pin-ups de antigamente, dei uma olhada no site e achei que foge ao conceito de beleza sem vulgaridade.

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Wallpapers de pin-up para baixar.

Clique para ampliar e salve em seu computador:










































sábado, 1 de setembro de 2007

Pin-up do mês de setembro Yvonne DeCarlo

Yvonne DeCarlo (Lily), nasceu Peggy Yvonne Middleton em 1º de setembro de 1922, em Vancouver, no Canadá. Começou atuando no cinema em filmes "B". Chegou a fazer uma ponta em Os Dez Mandamentos em 1956.

Lily Monstro foi a personagem que a tornou famosa. Depois da série, era sempre convidada a estrelar filmes de terror. Em 1995, Yvonne fez sua última aparição em TV. Também escreveu sua biografia, Yvonne.
Casou-se em 1955 com Bob Morgan, um dublê importante com quem teve dois filhos, Bruce e Michael. Após um acidente ao filmar uma cena perigosa saltando de um trem em movimento em "A Conquista do Oeste", Morgan perdeu uma perna e Yvonne abandonou a carreira para cuidar dele, mas o casal acabou se divorciando. Nos últimos anos de vida, Yvonne viveu perto de Solvang, ao norte de Santa Bárbara (EUA). Seu filho Michael morreu em 1977 e ela sofreu um ataque de apoplexia no ano seguinte.

Yvonne morreu no início deste ano, aos 84 anos, de causas naturais, no Motion Picture & Television Fund's Retirement Home, um asilo de artistas situado em um subúrbio de Los Angeles.